Brumadinho: barragem córrego do feijão se rompe e mobiliza metodistas

Uma barragem da mineradora Vale do Rio Doce se rompeu na tarde de sexta-feira, 25, em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte/MG. A Vale do Rio Doce informou que o rompimento ocorreu na Mina Córrego do Feijão. Até agora 9 pessoas foram encontradas mortas e mais de 300 estão desaparecidas.

A tragédia considerada pelo Presidente da Vale, Fabio Schvartsman, uma tragédia humana porque os danos ambientais serão menores que a tragédia de Mariana/MG, na barragem Fundão, da Mineradora Samarco, que deixou 19 mortos em novembro de 2015. “Dessa vez é uma tragédia humana. Estamos falando de uma quantidade provavelmente grande de vítimas. Não sabemos quantas, mas sabemos que será um número grande”. A avaliação foi apresentada durante coletiva de imprensa ao ser questionado se o episódio se equipara à tragédia de Mariana/MG, ocorrida em novembro de 2015, quando se rompeu uma barragem da Samarco.

A empresa informou também, em nota, que além das pessoas que estavam no refeitório outra área foi atingida. “Havia empregados na área administrativa, que foi atingida pelos rejeitos”. No site da empresa, há uma lista com mais de 400 pessoas que não fizeram contatos com seus familiares nas últimas 24 horas.

Palavra episcopal – O presidente do Colégio Episcopal, Bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa, publicou em sua rede social um desabafo dando destaque para a Pastoral do Meio Ambiente publicada essa semana no site da Sede Nacional. “A Pastoral do Meio Ambiente do Colégio Episcopal é um esforço de conscientização para o cuidado ambiental e a utilização dos recursos naturais de forma sustentável e republicana. Os desastres ambientais provocados pela imprudência e negligência vitimam a natureza e vidas humanas. Nossas orações e solidariedade à comunidade de Brumadinho”, disse o Bispo Luiz.

O Bispo Roberto Alves de Souza, presidente da 4ª Região Eclesiástica pede oração aos pastores e pastoras da região. “O rompimento de mais uma barragem de rejeitos da mineração é um caso sério, pois leva muitas vidas ao sofrimento, perdas emocionais e mortes. A imprensa está dizendo que de 400 dessas barragens, 10% está com riscos graves de também haver rompimento. É momento de orar e agir a favor das vítimas dessa nova tragédia ambiental em nosso estado”, apela o Bispo Roberto.

Igrejas mobilizadas – Várias igrejas estão mobilizadas pelos familiares das vítimas. O Bispo Roberto enviou a seguinte mensagem a liderança pastoral da 4ª Região Eclesiástica. “Estamos colocando a Igreja Metodista Central de BH como ponto de apoio para entrega de arrecadação de doações para o povo de Brumadinho atingido pela tragédia ambiental ontem. Quem puder participar e divulgar essa notícia nos ajude”, enfatizou o bispo em sua mensagem pastoral. A Igreja Central de Belo Horizonte está localizada na Rua Tupis, 51, Centro. A Igreja Metodista no Vale do Jatobá está se mobilizando com a Pastora Tatiane para ir até a região de Brumadinho com voluntários e voluntárias.

O Rev. Walas Vieira Silva, Pastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Brumadinho, destacou que muitas pessoas da região não conseguem contato com os familiares. “Em nossa igreja e cidade, bem como na região como as cidades de Sarzedo e Mário Campos, muitas famílias estão sem contato com parentes que trabalhavam na Vale. Sabemos que a faculdade Asa é a base de chegada de resgatados e corpos. Não há acesso à mesma. As doações que seriam levadas até lá, poderão ser entregues na quadra. Como a calamidade ocorreu na zona rural, os acessos estão limitados”, disse o Pastor Walas.

Brumadinho e Mariana – A barragem Córrego do Feijão se rompeu exatamente a três anos e três meses após a tragédia de Mariana/MG na barragem do Fundão, que deixou 19 mortos pelos mais de 50 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro que vazaram. Até agora as pessoas que moravam nas proximidades estão morando em casas alugadas pela Vale. Os povoados atingidos pela barragem do Fundão, foram totalmente destruídos.

Em Brumadinho, outro mar de lama destruiu casas da região. Rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco. Há 9 mortos e mais de 300 pessoas estão desaparecidas. Nove pessoas foram resgatadas com vida da lama e mais de 100 que estavam ilhadas também.

O Governo federal montou um gabinete de crise; Bolsonaro irá sobrevoar no sábado para ver os danos causados pela tragédia, mas a Justiça já bloqueou R$ 1 Bilhão da mineradora para atender diretamente as famílias das vítimas de Brumadinho. O Ibama multou a Vale em R$ 250 milhões pelo vazamento da barragem do Feijão.

Doações:

A 4ª Região Eclesiástica disponibiliza uma conta bancária específica para doações em espécie que serão encaminhadas às famílias das vítimas de Brumadinho. As doações poderão ser depositadas na Conta da Sede Regional.
Associação da Igreja Metodista – 4ª RE
Bradesco
Agência 0465-0
Conta corrente 124.550-3
Colocar CNPJ: 03.832.239/0001-16

A Visão Mundial em parceria com a Rede Evangélica do Terceiro Setor e a Sociedade Bíblica do Brasil também responde imediatamente a essa emergência reunindo esforços, pessoas e recursos para mitigar os danos dessa tragédia ambiental. Sua doação pode ajudar a amenizar as perdas iniciais que afetaram principalmente as crianças e famílias da região. As doações podem ser feitas na seguinte conta.

Banco Santander | Agência: 4500 | Conta Poupança 60004972-5 | CNPJ 18.732.628/0002-28 | Visão Mundial