Em cada alma havia temor

(Atos 2.43)
Trago parte desse versículo que, para os dias de hoje, traz grande esperança ao nosso coração. Em primeiro lugar porque à medida que cresce a iniquidade no mundo, ao mesmo tempo, Deus levanta uma geração com temor pelo Seu nome e pela sua Palavra, disposta a se aproximar Dele com atos de renúncia e entrega, rejeitando atos religiosos e de autojustificação.

Em segundo lugar porque, a cada dia, mais se aproxima a volta do Senhor. Sem dúvida alguma, a mensagem da volta de Jesus tem se tornado obsoleta para um mundo religioso sem temor e sem compromisso com as verdades do Reino de Deus. Mas, é fato que o nosso temor está ligado a não entristecer o coração de quem mais nos ama. Ele propôs construir uma morada eterna para abrigar pecadores como eu e você.

Bem! Se isso não gerar temor no nosso coração, no mínimo precisamos de: ARREPENDIMENTO, SANTIFICAÇÃO E REFORMA DE CONDUTA. Afim de que o temor ao Santo Nome de Jesus, esteja acima de tudo nas nossas relações cotidianas.

Portanto, vamos ocupar nossas mentes e corações com princípios que nos levem a temer a Deus e à sua justiça. Pois esse é o caminho para a santificação.

No Dia Final, não prestaremos contas como metodistas, mas sim, como filhos obedientes, comprometidos com a vida de Deus, a partir do chamado à santificação, pois como é santo aquele que nos chamou, sede vós também santos em todo o vosso procedimento. (I Pe 1.14-15)

Do servo e Bispo Paulo Rangel